Secretário de Educação Profissional e Tecnológica visita Campus Novo Paraíso

por Edjane Matias publicado 14/11/2019 11h34, última modificação 14/11/2019 11h34
De acordo com o Secretário do MEC o objetivo tem sido consolidar a Rede Federal apoiando as redes estaduais e buscando ter um olhar mais preciso, principalmente no ensino médio tecnológico. Com essa visão, a gente vem buscando conseguir entregar espaços de aprendizagem, de prática e de desenvolvimento de projetos de empreendedorismo e inovação tecnológica.

Nesta quarta-feira, 13, o Campus Novo Paraíso do Instituto Federal de Roraima (CNP/IFRR) recebeu a visita do secretário de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação (MEC), Ariosto Antunes Culau. O secretário chegou no período da tarde e foi recebido pelo diretor-geral da unidade, Eliezer Nunes Silva, e pelos representantes da comissão organizadora da visita.

Antunes veio acompanhado pelo presidente do Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif), Jerônimo Rodrigues da Silva; pela reitora do Instituto Federal de Roraima, Sandra Mara Botelho; pela pró-reitora de Administração, Regina Lopes; pelo pró-reitor de Extensão, Nadson Castro; e pelo pró-reitor de Desenvolvimento Institucional, Diogo Saul Silva Santos.

Logo que chegou ao campus, o secretário participou de um tour pela unidade, espécie de visita técnica para conhecer as áreas de ensino, pesquisa e extensão, incluindo os ambientes didáticos e produtivos e os projetos em desenvolvimento. Após a visita de campo, a comitiva conheceu os laboratórios de biologia e química e os de agroindústria.

 

De acordo com o diretor-geral do CNP, a visita foi de extrema importância, considerando que o secretário pôde conhecer a realidade do campus e ter uma visão mais concreta da distância percorrida para a unidade atender à demanda de alunos dos municípios vizinhos e do entorno. “Nós só temos que agradecer a disponibilidade do secretário em visitar o nosso campus e a oportunidade de mostrar o trabalho desenvolvido aqui, principalmente porque, no dia 19 de novembro, o Campus Novo Paraíso completa 12 anos de criação. Então, é bom neste momento mostrar o esforço e a dedicação de todos, buscando sempre atender, da melhorar maneira possível, o nosso público”, declarou Nunes.

Segundo o presidente do Conif, Jerônimo Rodrigues, um dos mais antigos na Rede, é estimulante conhecer uma unidade de ensino como o Campus Novo Paraíso, onde é marcante o sentimento dos professores e dos técnicos em prestar um bom serviço à comunidade. Disse que isso estimula os alunos para que também sejam empenhados naquilo que se comprometem a fazer. “Dificuldades todas as instituições sempre vão ter, mas manter um ensino de qualidade, não só na Capital mas também nas unidades do interior, é um desafio diário”, lembrou.

A reitora Sandra Mara falou da necessidade de mostrar a realidade dos campi da instituição ao secretário. “Uma unidade do Instituto Federal localizada numa região da Amazônia, como é o caso do CNP, requer toda uma logística para manter o aluno. Então, nós temos conversado com o secretário Ariosto Antunes e ressaltado a necessidade de um olhar diferenciado para um campus com essa tipologia”, disse.

De acordo com o secretário, a Rede Federal tem 661 unidades espalhadas pelo País, cada estado apresenta uma realidade diferente e as unidades da rede têm outra realidade, conforme sua localização. “Nosso objetivo tem sido consolidar a Rede Federal apoiando as redes estaduais e buscando ter um olhar mais preciso, principalmente no ensino médio tecnológico. Com essa visão, a gente vem buscando conseguir entregar espaços de aprendizagem, de prática e de desenvolvimento de  projetos de empreendedorismo e inovação tecnológica para fazer com que o maior número de alunos tenha acesso ao ensino”, explicou.

Com relação ao Campus Novo Paraíso, Antunes acrescentou que já se trabalha para a aquisição de equipamentos como uma rede fotovoltaica para a unidade, assim como para outras. “É um desafio, mas é o que a gente vem buscando: consolidar ao máximo a rede nos próximos dois anos”, disse.

Ambientes didáticos e produtivos – Entre alguns dos ambientes didáticos do CNP, mantidos com o apoio do Departamento Técnico (Detec), estão os seguintes: laranjal com 60 plantas consorciadas, 60 pés de açaí e área aproximada de 0,2 hectare; macaxeiral com 0,25 hectare de área plantada; espaço permacultura com plantio de gliricídeas e rotação de culturas, com 0,5 hectare; área de recuperação de solo, com gramínea e rotação de culturas, com 0,5 hectares; suinocultura com 6 baias, 3 animais e possibilidade de uso de Siscal; avicultura com 2 galpões e 100 aves de postura; ovinocultura com aprisco, área de pastagem com brachiaria humidicula e 9 animais em uma área de 1 hectare.

Também há em funcionamento no campus área irrigada/aspersão para plantio de milho e arroz; área irrigada/gotejamento com consórcio de açaí, cupuaçu e melancia; 5 tanques escavados, 1 com peixe; setor de aquicultura com sisteminha Embrapa, sistema wentland e criação de quelônios; hidroponia; estufa com sistema de energia solar com 4 módulos de canteiros, com cultura de alface; estufa convencional com cultivo de diversas hortaliças; viveiro usado esporadicamente, conforme demanda; setor de apicultura com 4 colmeias ativas; mandala com plantio de diversas culturas (girassol, hortaliças); espaço agroecológico com consórcio, gliricídea, laranja, banana, ovinos, galinhas, galinha da angola; viveiro de produção de mudas; fruteiras diversas e parte de mecanização agrícola com 3 tratores, pulverizador, roçadeira, grade, semeadora e outros implementos.

 

 

Texto: Edjane Matias

Foto: Érick Vieira

CCS/Campus Novo Paraíso

13/11/2019

« Dezembro 2019 »
month-12
Do Se Te Qu Qu Se Sa
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30 31 1 2 3 4
  

Guia de Recolhimento da União