Formatura de 31 alunos do Campus Novo Paraíso foi realizada nesta quinta-feira

por Edjane Matias publicado 20/12/2018 19h15, última modificação 26/12/2018 11h00
Solenidade contou com representantes da reitoria, parentes e amigos dos formandos

No fim da tarde desta quinta-feira, 20, o Campus Novo Paraíso do Instituto Federal de Roraima (CNP-IFRR) realizou, no espaço cultural da unidade, a formatura de 31 alunos dos cursos Técnico em Agropecuária e Técnico em Agroindústria integrados ao ensino médio.

Além dos diretores e dos professores d campus, estiveram presentes ao evento o pró-reitor de Extensão  do IFRR, Nadson Castro, representando a reitora da instituição,  amigos e familiares dos formandos.

Durante a solenidade, o diretor de Ensino do CNP, Marconi Bonfim Santana, lembrou que, com a conclusão desses cursos, cada formando entrou uma pessoa e saiu outra diferente. “São alunos que agora saem com personalidade e um senso crítico bem diferente do que tinham antes. Então, não é pra todos, mas, na maioria das vezes, um curso técnico faz com que eles levem uma bagagem de conhecimentos que vão auxiliá-los tanto na prática profissional quanto nas atividades desenvolvidas nas propriedades de suas famílias. “Todo o curso, tanto o Técnico em Agropecuária quanto o Técnico em Agroindústria, segue uma matriz curricular que atende desde as disciplinas normais do ensino médio até as aulas práticas em campo. Isso possibilita que cada um desses estudantes, ao se formar,  tenha os conhecimentos básicos necessários para desenvolver suas atividades”, explicou Santana.

Para o  representante da reitora do IFRR, Nadson Castro, presenciar esses novos técnicos recém-formados pelo Campus Novo Paraíso  faz relembrar o começo do campus na região sul do Estado em 2007, quando muitos não acreditavam que fosse perdurar na localidade. “Quem chegou aqui quando da implantação deste campus, em agosto de 2007, o qual foi inaugurado em novembro do mesmo ano, ouviu muito que ele não passava de um ‘elefante branco’. No entanto, formamos a primeira turma em 2011.  Naquele primeiro momento, nosso curso era de quatro anos, depois passou para três. Mas o mais importante é a gente poder mostrar hoje, em 2018, que mais jovens acabam de se formar por esta unidade do IFRR, atuante na região sul. Ou seja, são 11 anos presentes mostrando que todos somos capazes, muito mais ainda esses jovens que acabam de concluir os cursos  Técnico em Agropecuária e Técnico em Agroindústria”, ressaltou, relembrando que o papel do instituto é contribuir para o desenvolvimento de cada região onde dispõe de campus.

De acordo com o diretor-geral em exercício do Campus Novo Paraíso, Ednaldo Gomes Pereira, no período de vigência dos cursos, a sensação que alguns têm é  que o que foi aprendido foi muito pouco, mas, no dia a dia, na batalha, no vestibular, seja concorrendo a um concurso público, seja  assumindo as tarefas diárias que a profissão exige, é que vai se percebendo o que realmente foi aprendido, assimilado durante os estudos. “Nesses momentos é que se vê a lição de vida que se aprende no dia a dia dos estudos. Isso que se aprende em algum momento da vida vai servir”, disse.

Histórico dos cursos - A formação do Técnico em Agropecuária tem duração de três anos e uma carga horária total de 3.360 horas e possibilita a construção de conhecimentos teóricos e práticos nas áreas de agricultura e pecuária com a utilização também de embasamento agroecológico de produção. O curso objetiva, além disso, formar cidadãos éticos, com preparação científica e capacidade para utilizar diferentes tecnologias relativas à agropecuária. Leva em consideração a  diversidade de espécies vegetais e animais, busca a autossustentabilidade dos sistemas agrícolas nos diferentes níveis e permite a atuação individual ou em grupos multidisciplinares. Tem como foco os arranjos produtivos locais, na agropecuária e na sustentabilidade, contribuindo para o desenvolvimento do estado.

No caso do Técnico em Agroindústria, a duração do curso também é de três anos e a carga horária total de 3.140 horas. Ele busca formar profissionais aptos a atuar em indústrias de alimentos, órgãos de pesquisa, associações e cooperativas. Além disso,  visa formar profissionais capazes de gerenciar a elaboração, a interpretação, a execução e a avaliação de projetos agroindustriais; gerenciar e realizar atividades do processamento de produtos agropecuários, desde a aquisição da matéria-prima até à elaboração do produto agroindustrial, inclusive com controle da qualidade e aplicação das normas vigentes na produção, e também atuar em atividades de extensão, associativismo, pesquisa e assistência técnica.

 

 

Edjane Matias
Fotos: Márcio Patrício
CCS/Campus Novo Paraíso
20/12/2018

 

« Janeiro 2019 »
month-1
Se Te Qu Qu Se Sa Do
31 1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30 31 1 2 3
  

Guia de Recolhimento da União